MESQUITA - Na manhã desta terça-feira(21) moradores da rua José Montes Paixão encontraram dois corpos dentro do Rio Sarapuí em Edson Passos, Mesquita. Segundo os próprios moradores da região foram ouvidos tiros na noite passada. Ao amanhecer os mesmo encontraram os corpos e acionaram a polícia através do Disque 190.

Após a chegada da PMERJ, foi acionada à DHBF - Divisão de Homicídio da Baixada Fluminense e o corpo de bombeiros para a retirada do corpo de dentro do rio para isolar e periciar o local. Até o fim da tarde os dois corpos ainda não havia identificação até os familiares identificarem através de uma publicação feita na página do Plantão Mesquita.

Junior e Felipe conhecido como Polho foi identificado pelos seus familiares e os corpos encaminhados para o IML - Instituto Médico Legal. Junior era moto-taxista e na noite anterior estava em uma festa junto com Felipe que era vendedor de cestas básicas, quando na saída foram abordados por criminosos que anunciaram um assalto próximo ao barracão da GRES Beija-Flor de Nilópolis, informou um familiar.

— Dois homens do bem trabalhadores e pais de família. Diz esposa de um dos rapazes.

Junior deixou duas filhas uma com 5 (cinco) anos e outra com 9 (nove) anos de idade.

Até o fim da matéria nenhuma informação referente ao que de fato motivou o crime foi revelada à redação do jornal.

Via Plantão Mesquita

MESQUITA - 2º Seminário de Integração dos Gestores da Cultura juntou mais 100 representantes e discutiu políticas públicas na área.

O secretário municipal de Cultura de Mesquita, Kleber Rodrigues, participou nesta semana do 2º Seminário de Integração dos Gestores da Cultura. A iniciativa foi da Comissão de Cultura da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro e juntou mais de 100 gestores culturais do estado no Auditório Nelson Carneiro, na própria ALERJ.

O encontro serviu para promover o debate e a troca de experiências sobre políticas culturais entre os presentes. “Foi importante também conhecer o trabalho da comissão e entender alguns detalhes do sistema de cultura do estado do Rio. Além disso, fomos apresentados à nova equipe da secretaria de estado”, valoriza Kleber Rodrigues.



Depende, porque estamos falando de um grupo eclético. Entram nesse bolo drogas, armas de fogo, animais silvestres, alimentos que apresentem irregularidades, cigarros e remédios falsificados, grana de origem suspeita, madeira extraída ilegalmente e, claro, quase tudo que está à venda na banquinha do camelô.

A maior parte dessas batatas quentes vai parar nas mãos da Receita Federal, que mantém cerca de 150 depósitos espalhados pelo Brasil. Elas podem ser leiloadas, destruídas, doadas a entidades sem fins lucrativos ou incorporadas a órgãos da União – nesse caso, os mais beneficiados costumam ser as Polícias Rodoviária e Federal.

Até outubro do ano passado, a Receita já tinha embargado quase R$ 1 bilhão em produtos, um número 22% maior que o de 2006, por exemplo. Os campeões foram eletroeletrônicos (R$ 79 milhões), cigarros (R$ 77 milhões), óculos (R$ 73 milhões), calçados (R$ 65 milhões) e artigos de informática (R$ 58 milhões). Disso tudo, 6,5% voltam para os antigos donos.

Se ninguém der as caras para reclamar a apreensão ou a decisão final for contrária ao acusado, a mercadoria tem seu destino determinado, na maioria dos casos, pela Justiça Federal.

Em 2008, por exemplo, os valores foram estes: R$ 66,4 milhões para leilões, R$ 179 milhões incorporados a órgãos públicos e R$ 74,4 milhões doados a entidades beneficentes. Para esse grupo de beneficiados, o crime compensa.

O que vai vem, o que vem vai
Saiba onde vão parar os produtos irregulares. Às vezes, o sistema literalmente bota pra quebrar

Rasgando dinheiro
Grana falsa – só em 2008 foram apreendidas 325 mil cédulas – é levada direto para o triturador. Já a de verdade fica depositada no banco até que se decida a quem ela pertence.

Contrabando
Produtos piratas ou simplesmente ilegais são destruídos, muitas vezes em grandes ações públicas. “É para dar o exemplo”, diz Eliana Polo, superintendente da Receita Federal.

Mercadoria legal
Produtos apreendidos sem restrição de circulação podem ser leiloados, incorporados a órgãos públicos ou doados pra caridade.

Fogo na bomba
Com drogas, não tem conversa: tudo que é apreendido é incinerado – ou pelo menos deveria.

Feras feridas
Os animais apreendidos pela polícia nem sempre são devolvidos à natureza. Às vezes faltam recursos para a readaptação, e o jeito é deixar com os antigos donos mesmo.

Via Super Interessante
Por Anna Virginia Balloussier
Foto radio pioneira
O portão diante do qual Amilton foi atingido Foto: Reprodução
MESQUITA - Amilton Bento dos Santos, de 47 anos, levou uma bala na cabeça, na manhã da Quarta-feira de Cinzas. Parentes, amigos e moradores do Morro da Coreia, em Mesquita, na Baixada Fluminense, contam que o pintor estava em frente de casa quando teve início um tiroteio — um ponto de venda de drogas opera a cerca de 50 metros do local onde ele foi baleado, enquanto segurava o portão do vizinho para que os três amigos com quem conversava, além de um menino de 6 anos, pudessem entrar e se proteger. A versão dos PMs que registraram a ocorrência, porém, é outra.

Na 52ª DP (Nova Iguaçu), dois agentes do 20º BPM (Mesquita) relataram que Amilton foi alvejado “em confronto”, na localidade conhecida como Travessa da Vala, um “ponto conhecido de tráfico”. Segundo os policiais, ele estava com três homens, “todos armados com pistolas e revólveres”. O bando teria atirado ao avistar os PMs, que, então, “revidaram a injusta agressão”. Mais tarde, foram apreendidos um revólver com numeração raspada, munição, uma réplica de pistola, uma granada de efeito moral e drogas. O caso foi registrado como “homicídio decorrente de intervenção policial”, os chamados autos de resistência.

— Um pessoal (do tráfico) passou direto correndo logo que ouvimos os tiros. O Amilton tentou proteger a gente, mas acabou atingido. Joguei meu filho na varanda e me deitei no chão, e ainda dispararam outras duas vezes na nossa direção — contesta uma testemunha, pedindo para não ser identificada.

A mesma testemunha afirma que uma viatura surgiu em seguida e levou Amilton para o Hospital Geral de Nova Iguaçu. Os amigos teriam tentado acompanhá-lo, mas foram impedidos pelos PMs — “ficaram repetindo que não precisava”, lembra um deles. O pintor já chegou morto à unidade de saúde.

Após a morte, moradores da Coreia iniciaram uma manifestação, ateando fogo em pneus e fechando vias de acesso à comunidade. Até esta quinta-feira, linhas de ônibus continuavam sem circular no interior da favela por conta dos protestos. Amilton será enterrado na manhã desta sexta, às 11h, no Cemitério Jardim da Saudade, em Edson Passos, no próprio município de Mesquita.

Sem passagem na polícia

Ao longo das quase cinco décadas de vida, o nome de Amilton só aparece em dois registros policiais, ambos como vítima de roubo, em 2007 e em 2009. Nas redes sociais do pintor, que estava desempregado, quase só há postagens sobre três de suas maiores paixões: o Botafogo, a escola de samba Beija-Flor e a família — ele era casado e tinha dois filhos, de 10 e de 25 anos.

— Meu pai era nascido e criado na Coreia, mas nunca fez nada de errado. Todo mundo aqui sabe disso. Os PMs erraram e não foram homens de assumir — desabafou Anderson Bento dos Santos.

Nesta quinta-feira, o EXTRA tentou contato diversas vezes, todas sem sucesso, com o comando do 20º BPM. Por nota, a assessoria da Polícia Militar apenas confirmou a versão que os policiais contaram na delegacia.

Já o delegado Leandro Aquino da Silva, titular da 52ª DP, informou que, até o momento, ninguém procurou a polícia para contestar formalmente a versão oferecida pelos policiais envolvidos na ocorrência. As investigações, porém, ficarão a cargo da 53ª DP (Mesquita), responsável pela região da Coreia.

Via Extra
Por Luã Marinatto

MESQUITA - Policiais do 20º BPM (Mesquita), realizaram nessa última semana uma mega operação para reduzir os índices criminais, roubo de veículos e cargas, homicídios, e o combate do tráfico de drogas em diversas comunidades de Mesquita. Entre as comunidades estavam a Mata do Gericinó, Boca do Bicão e Comunidade da Chatuba, controladas pela facção criminosa CV (Comando Vermelho).

Os policiais tiveram resistência ao entrar em uma das Comunidades, havendo intensa troca de tiros com os marginais locais. Após vasculhamento no local foram encontrados três elementos caídos ao solo com 1 Fuzil AK 47, 1 pistola calibre 9mm, 1 pistola .40, 200 trouxinhas de maconha e 1200 pinos de cocaína.

Os acusados foram imediatamente socorridos ao HGNI (Hospital Geral de Nova Iguaçu - Hospital da Posse), mas não resistiram aos ferimentos e vindo a óbito.

O material foi encaminhado para a 53º DP (Central de Flagrantes).


Via Notícias de Mesquita


MESQUITA - O governo de Mesquita, através de sua Subsecretaria Municipal de Defesa Civil, iniciou o corte das estacas pontiagudas instaladas pela gestão anterior na Avenida Baronesa de Mesquita. A ação começou a ser executada nesta sexta-feira, dia 24 de fevereiro, seguindo a determinação do Ministério Publico. De acordo com o MP, as estacas em formato de lápis precisavam ser cortadas por colocarem em risco a segurança dos transeuntes.

Via PMM

MESQUITA - Em razão de recente confronto armado, na data de ontem, envolvendo os policiais da Companhia de Mesquita e traficantes de entorpecentes locais, foi determinada pelo Sr. Comandante do 20º BPM uma operação com distintos pontos de atuação e diversos "modus operandi".

Foi utilizado também retroescavadeira e caminhão para retirada de barricadas, garantindo a liberdade de circulação dos moradores;

Com o resultado de 2 presos pela AIB na comunidade da Raiz, 1 prisão por alcoolemia na direção, 21 veículos aprendidos entre eles 'moto taxistas' ilegais.

A divisão esteve atuante na Comunidade da Chatuba e suas subdivisões, principalmente Bicão, Raíz, Quinze e 2008.





Via Notícias de Mesquita


MESQUITA - A prefeitura de Mesquita desmentiu a nomeação de Luan Patrício, de 26 anos, como sub-secretário de Cultura do município. Conhecido pela participação polêmica no BBB 2015, Luan afirmou em entrevista ao jornal Extra publicado nessa quinta-feira (23), ter sido convidado a assumir a função após integrar a candidatura de Jorge Miranda (PSDB) como coordenador. Em nota, a administração municipal disse ainda que Luan “não dá expediente” ou “ocupa qualquer cargo”.

Via PMM

BAIXADA FLUMINENSE - Três homens armados depredaram e furtaram equipamentos da Subestação Marapicu da Light, na Avenida Abílio Augusto Távora (antiga Estrada de Madureira), no bairro Parque São Carlos, em Nova Iguaçu, no último domingo (19/02) (fotos ao lado e abaixo). A invasão deixa em risco o fornecimento de energia para cerca de 64 mil clientes. Dois técnicos e seguranças da Light foram expulsos do local.

A Light trabalha em parceria com a polícia para identificar os criminosos. A empresa possui um convênio com o Governo do Estado, denominado Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis), que auxilia nas ações de fiscalização e repressão aos criminosos, instala circuito fechado de televisão e alarmes de instrução em locais sensíveis, além de executar rondas aleatórias visando inibir invasões e furtos às suas instalações.

A invasão à subestações ou outras propriedades da Light, além de prejudicar a empresa, também traz problemas à população, como desligamentos no fornecimento de energia. No ano de 2016, a Light registrou casos que afetaram 43 mil clientes e resultaram em 365 horas de energia interrompida.

Via Light

MESQUITA - O governo de Mesquita promoveu nesta segunda-feira, dia 20 de fevereiro, uma ação de acolhimento e ordenamento na Praça da Revolução, em Edson Passos. A iniciativa foi tomada em parceria entre a Secretaria Municipal de Segurança, Ordem Pública e Cidadania, a Secretaria Municipal de Assistência Social e a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos.

No primeiro dia de funcionamento da nova escala de trabalho da guarda municipal de Mesquita, foi constatado que uma família estava vivendo na praça. Imediatamente, foram acionados representantes da secretaria de Assistência Social para a tentativa de acolhimento e da secretaria de Serviços Públicos, para a remoção do entulho acumulado no local.

“A família se recusou a ir para um abrigo, alegando que têm uma casa”, informou a secretária de Assistência Social de Mesquita, Cristina Quaresma. “A presença da guarda municipal nas ruas nos traz um panorama melhor do que de fato está acontecendo na cidade”, afirma o Coronel Sergio Mendes, secretário de Segurança, Ordem Pública e Cidadania de Mesquita.

A praça foi limpa e o espaço, ordenado. A intenção agora é que a mesma parceria se intensifique para que outras praças da cidade sejam regularmente monitoradas pela atual gestão.

Via PMM