Neguinha:
Neguinha
Neguinha já teve um lar mas, infelizmente, não pode ir na mudança. Está magra porém bem de saúde. Precisa ganhar mais peso para que possa ser castrada e vacinada (Castração e vacinação estão garantidas quando estiver apta).
É uma cachorra alegre, brincalhona e chameguenta. Porte médio e aproximadamente 2 anos.
Está em Nova Iguaçu - Rio de Janeiro. Levamos ao adotante!

Vitória:
Vitória
É a nossa cadelinha especial. Cega de um olhinho, Vitória tem uma história de vida muito triste. Ficava vagando em um estacionamento, engravidou 2 vezes, até que foi resgatada e agora aguarda seu LAR FELIZ! Tem aproximadamente 1 ano e meio, porte médio, castrada e com a vacinação garantida.

Embora com apenas 1 olhinho, Vitoria consegue aproveitar a vida e tem tudo para viver de forma plena e feliz com sua nova família.

Está em Nova Iguaçu - Rio de Janeiro. Levamos ao adotante!

Furado:
Furado
Furado foi encontrado nas ruas com evidentes sinais de maus tratos, machucado e com miíase. Foi resgatado, tratado e acolhido. Agora está muito saudável esperando seu lar feliz. Porte médio, aproximadamente 2 anos, castrado e vacinação garantida. 

Está em Nova Iguaçu - Rio de Janeiro. Levamos ao adotante!


CONTATOS: 


Ou através do telefone: 
(021) 975632626 (Claro) - Jennifer Melo

Via Grupo Notícias
Imagem Ilustrativa 

MESQUITA - A segurança tem sido assunto constante e preocupante, principalmente nos últimos anos, na Baixada Fluminense. Na última semana foi realizada mais uma reunião do Conselho Comunitário de Segurança Pública de Mesquita, reunindo a população, autoridades políticas e de segurança. A cidade tem registrado aumento de criminalidade. “A violência aumentou bastante na Baixada e Mesquita está sofrendo com a violência. É fundamental combatermos essa situação por isso devem ser discutidas”, afirma a vereadora Cris Gêmeas.

Os números relevam a onda de violência vivida na cidade, segundo o Instituto de Segurança Pública (ISP). Os dados analisados são de outubro de 2015 e do mesmo período em 2016.

Os roubos a estabelecimento comercial eram de três ocorrências e foram para 12. Os roubos de veículos subiram de 35 para 86. O crescimento dos roubos a transeuntes é alarmante. Foram de 45 ocorrências, para 180. Já as ocorrências em coletivos deram um salto de 13 registros para 44. Os aparelhos celulares tiveram 10 ocorrências. Já em este ano subiu para 30. “A população deve expor sua insatisfação com a segurança pública e cobrar comprometimento das autoridades”, afirma Lito Almeida, presidente do Conselho Comunitário de Segurança de Mesquita.

O relatório da reunião será encaminhado ao 20° BPM.

Via O Dia

Mãe de ex-PM se joga na frente do filho para tentar impedir homicídio em Mesquita
MESQUITA - Um ex-policial militar foi morto em Mesquita, na Baixada Fluminense, nesta quinta (5). Rafael Rodrigues Azeredo, de 27 anos, estava com a mãe quando homens armados chegaram atirando. O ex- PM estava numa padaria com a mãe, que ao ver que os bandidos se aproximavam para atirar no filho, se jogou na frente e também foi baleada.

A padaria fica a cerca de 500 metros da sede da prefeitura da cidade e próximo a casa de Rafael. Os dois foram socorridos e levados pra casa de saúde Nossa Senhora de Fátima, em Nova Iguaçu. O ex-policial não resistiu aos ferimentos e morreu. A mãe foi baleada no peito de raspão, teve alta, mas foi pra casa em estado de choque. Os criminosos não levaram nada e fugiram em um carro, que foi abandonado perto da Favela da Coreia.

Amigos e familiares disseram que Rafael estava feliz que voltaria a trabalhar na corporação. O ex-PM aguardava ser reincluído. Segundo a família, o ex-policial sempre foi muito dedicado na profissão.

“Ele era filho único, então filho único tem mais apego com mãe e com pai, um cara muito família, amigo de todos, só que inimigo dos marginais. Nenhum marginal da lei vai se sentir confortável tendo um policial desses perto de casa”.

Via G1
O prefeito Jorge Miranda observa os 66 veículos abandonados no pátio de uma das sedes da prefeitura Foto: Cléber Júnior / Extra
MESQUITA - O novo prefeito de Mesquita, Jorge Miranda (PSDB), decreta nesta quarta-feira pela quarta vez o estado de calamidade pública, agora na Secretaria de Assistência Social. Antes, baixou o mesmo decreto na Saúde e no serviço de coleta de lixo, na segunda-feira, e na pasta de Finanças, nesta terça-feira.

— Todos os Cras (Centros de Referência de Assistência Social) estão fechados e sem estrutura. Há a suspeita de que a verba deles foi usada para pagar fornecedores. Estamos auditando as contas para checar — revelou o novo governante.

O abandono também pode ser visto no pátio de uma das sedes da prefeitura, onde há 66 veículos parados há cerca de dez meses por falta de recursos para reparos. Entre eles, oito ambulâncias.

— Duas delas foram doadas pelo governo do estado e nunca foram para a rua. Elas serão entregues à Secretaria de Saúde em breve. Vamos analisar o que é sucata e o que precisa de reparo para levar ao secretário de governo e estudar melhor forma de colocar esses carros na rua. Há pessoas que fazem tratamento médico em outras cidades e dependem do transporte — explicou o novo diretor do Departamento de Controle de Frita e Combustível, Marcos Dias.
Em um dia, cerca de 650 toneladas de lixo e entulho foram
recolhidas em Mesquita Foto: Domingos Peixoto / Agência O Globo

650 toneladas de lixo em um dia

Desde de segunda-feira, foi iniciado na cidade um mutirão de limpeza emergencial para recolher todo o lixo acumulado, depois que a coleta foi paralisada na gestão passada por atraso nos pagamentos dos funcionários. Segundo a prefeitura, na última segunda-feira, foram retiradas cerca de 650 toneladas de lixo e entulho das ruas de todos os bairros. A expectativa do governo municipal é que a situação seja normalizada em até 20 dias.

Via Extra
Por Cíntia Cruz

Grupo é acusado de arrombar a Faetec de Mesquita, na noite da última segunda-feira Fotos: Ivan Teixeira / Jornal de Hoje
MESQUITA - Policiais civis da 53ªDP (Mesquita) prenderam quatro homens e apreenderam dois menores, na tarde de ontem, acusados de arrombar a Faetec de Mesquita, na noite da última segunda-feira. Eles foram encontrados em suas casas na comunidade da Chatuba. O bando não resistiu à prisão.

Foram recuperados todos os materiais roubados, como nove aparelhos de ar-condicionado, 11 gabinetes de computadores, 15 monitores e 12 estabilizadores e vários mouses que estavam na unidade educacional. O roubo ocorreu por volta das 21h e não havia ninguém no local, pois o vigia não trabalhou por estar com o salário atrasado.

Segundo o delegado titular Matheus Lopes, após ser comunicado do arrombamento, uma equipe de inteligência da delegacia foi destinada para investigar o caso e chegou até os autores do crime. Foram presos: Marcos Nascimento Ribeiro, de 36 anos, Maicon Oliveira Augusto, 24, Milton Lopes de Oliveira Júnior, 21 e Leonardo Efigênio do Nascimento, 26. Dois menores de 16 anos foram apreendidos.

“Todos serão indiciados por furto. Eles são da comunidade da Chatuba”, afirmou o delegado.


"Situação é precária", diz novo prefeito de Mesquita, Jorge Miranda (Imagem Globo)
MESQUITA - O novo prefeito de Mesquita, na Baixada Fluminense, ainda não sabe quando vai pagar os servidores do município, que não receberam o salário de novembro. Jorge Miranda conta que encontrou o prédio depredado, com o teto caindo, sem internet e sem impressoras. Ele conta que ainda não sabe o que vai encontrar nas contas da Secretaria de Fazenda do município.

“Nós não tivemos acesso à Fazenda porque não temos acesso à internet. Esperamos ter internet ainda esta tarde e levar os computadores para ter acesso a essa grande caixa preta que é a Fazenda do município”, explicou Jorge Miranda.

Ele conta que os servidores ainda terão que esperar até que ele tome conhecimento da situação financeira da cidade.

“Tem que esperar. Um pouco de paciência. Assim que estivermos na Fazenda vamos apresentar um grande plano para a semana que vem”, afirmou Miranda.

O prefeito anterior da cidade, Gelsinho Guerreiro, sumiu do município desde que ele perdeu as últimas eleições. A coleta de lixo é atualmente um dos principais problemas da cidade. O lixo se acumula nas ruas por causa de problemas no pagamento da empresa que faz o serviço. De acordo com Miranda, o problema será solucionado.

“Hoje fizemos um grande mutirão, já atendemos o Centro e pretendemos ir aos bairros a partir de amanhã”, explicou o prefeito.

Via G1
Sem ar condicionado, mães abanam recém-nascidos no Hospital da Mãe, em Mesquita Crédito: Reprodução

MESQUITA - O gerador de unidade da Baixada Fluminense apresentou problemas e ficou quase três horas seguidas totalmente desligado na manhã de domingo. A unidade é a mesma onde nasceu o primeiro bebê da rede estadual de 2017.

Médicos e pacientes do Hospital Estadual da Mãe, em Mesquita, começaram o ano às escuras. Segundo a equipe da unidade, a energia elétrica foi interrompida na madrugada de domingo, após uma forte chuva que atingiu a Baixada Fluminense, e o hospital passou a ser abastecido por um gerador.

No entanto, o equipamento apresentou instabilidade e ficou quase três horas seguidas totalmente desligado durante a manhã deste domingo. Na escuridão, médicos tiveram que atender os pacientes usando a luz da tela dos telefones celulares.

Por causa do problema, dois bebês que estavam em respiradores precisaram ser transferidos. A unidade é a mesma onde nasceu o primeiro bebê do ano da rede estadual.

Segundo uma funcionária que não quis ser identificada, os equipamentos eletrônicos e o ar-condicionado do centro cirúrgico foram desligados, impossibilitando a realização de cesarianas. Ela relata que, mesmo no escuro, o hospital não recebeu ordem para fechar e duas grávidas deram entrada na maternidade.

'Bebês no respirador tiveram que ser transferidos porque a bateria acabou. Temos cirurgia e não tem condições porque o centro cirúrgico está fechado. Tem cesariana para ser feita, mas não tem ar condicionado. Maternidade está aberta, mas estamos atendendo com a luz do celular.'

O Hospital da Mãe de Mesquita é administrado pela Organização Social Therezinha de Jesus. Segundo os médicos, cerca de 40 mulheres estão internadas no setor pós-parto do hospital, além das pacientes gestantes e dos bebês.

A equipe realizou um boletim de ocorrência na delegacia de Mesquita. Por meio da OS Therezinha de Jesus, a direção do hospital disse que acompanha a situação para manter o atendimento aos pacientes.

Via CBN
Por Paula Martini e Lara de Faria

MESQUITA - Com a promessa de um governo eficiente, Jorge Miranda (PSDB), assumiu a prefeitura de Mesquita na manhã de domingo (1). Com ele foi empossado também o vice-prefeito Waltinho Paixão (PROS), além dos doze vereadores eleitos para esta legislatura. De acordo com a organização do evento, ao menos 600 pessoas acompanharam a solenidade.

Entre os problemas que serão enfrentados por Miranda estão o atraso no pagamento do salário de servidores e o acumulo de lixo nas ruas das cidade. Ambos problemas se arrastam há meses. “Estamos pegando um governo completamente arrasado em todas as áreas. Não temos um legado sequer nesta administração pública”, destacou o prefeito em seu discurso. Derrotado nas urnas, Gelsinho Guerreiro, que tentou a reeleição pelo PRB, não compareceu à cerimônia de transição.

Reeleito no cargo de vice-prefeito, Paixão mostrou bom-humor em seu pronunciamento. “Eu não sou vascaíno, mas pela segunda vez sou vice-prefeito desta cidade”, ironizou.

As mudanças na gestão de Miranda já podem ser vistas no primeiro dia. Agora, as pastas passam a ser ocupadas por nomes técnicos. “É uma preocupação nossa de que tivéssemos quadros capacitados a frente do serviço à população. Todos eles tem legado em suas respectivas áreas e esse foi um critério fundamental para as escolhas”, comentou Miranda.

Câmara elege mesa diretora

Nos próximos dois anos, o legislativo de Mesquita será presidido pelo vereador Marcelo Biriba (PRB). No terceiro mandato consecutivo, Biriba participou da mesa diretiva da Casa no último mandato e promete levar a experiência para o novo cargo. O político defende que o diálogo entre os poderes é essencial para tirar o município da crise. “Essa Câmara vai estar unida com o executivo. A gente precisa abrir mão das camisas dos times que jogamos antes e do revanchismo político para levantar esse município que está estraçalhado”, comentou.

Amaury Trindade (PTB) ocupará a cadeira de vice-presidente. O secretário será Roberto Emídio (SD).
Neste ano, o orçamento estimado para Casa é de pouco mais de R$ 10 milhões, de acordo com as estimativas publicadas em Atos Oficias. Levando em consideração o valor, o custo diário aos cofres públicos será de R$ 28 mil reais. Nesta legislatura, a remuneração dos vereadores será de R$ 10 mil. Devido ao recesso legislativo, os trabalhos na Câmara Municipal só serão retomados no dia 15 de fevereiro.

Desaparecido. O prefeito Gelsinho Guerreiro não é mais visto em Mesquita - Luiz Alan/Divulgação
MESQUITA - Prefeito de Mesquita, na Baixada Fluminense, Gelsinho Guerreiro (PRB) está sumido da cidade há mais de dois meses. Derrotado na eleição de outubro, ele não é mais visto em casa, no município vizinho de Nova Iguaçu, muito menos em seu gabinete. Os servidores, que estão com os salários atrasados, tentam falar com Gelsinho, mas não conseguem. Os garis já não coletam mais o lixo, que fica acumulado em montanhas nas ruas. Sobram sujeira e moscas para a população, que também enfrenta problemas de atendimento nos postos de Saúde.

Nesta terça-feira, o guarda municipal que cuida da entrada da prefeitura acompanhou uma equipe do “Jornal Hoje”, da Rede Globo, até o gabinete do prefeito. Ele confirmou à reportagem que Gelsinho não aparece desde outubro e que todos os funcionários estão sem receber o salário de dezembro e o 13º.

No dia 19 deste mês, a Justiça havia determinado que o município depositasse o pagamento dos funcionários da área de educação em 48 horas, o que não aconteceu.

Os moradores de Mesquita vão ter que esperar pelo menos mais alguns dias para que a coleta de lixo volte a funcionar na cidade. O prefeito eleito, Jorge Miranda (PSDB), prometeu organizar um mutirão de limpeza, já no início de sua gestão.

— Vamos propor esse mutirão à população. A ideia é normalizar tudo em 15 dias — disse Miranda.

No bairro Jacutinga, um lixeira de cerca de 20 metros assusta os moradores da Rua Delfina.

— Vi um caminhão passar ontem à noite, mas não sei onde estão recolhendo, porque está tudo cheio de lixo. Cadê o Ministério Público? — questionou o morador Ricardo da Silva.

O Ministério Público instaurou, no fim de novembro, um inquérito civil sobre o recolhimento e a destinação do lixo na cidade. Segundo o MP, o prefeito foi ouvido na semana passada e informou que uma empresa foi contratada para o serviço.

A população teme a proliferação de doenças.

— Tenho medo pelas minha filhas de 11 anos e 1 ano e meio. Já entraram ratos na minha casa. Elas podem ficar doentes — disse Bianca Cunha de Azevedo.

Via G1


MESQUITA - O prefeito da cidade de Mesquita, no interior do Rio de Janeiro, Gelsinho Guerreiro, do PRB, não conseguiu a reeleição e sumiu. Segundo os funcionários da Prefeitura, ele não aparece desde outubro.

Nessa terça-feira (27), o guarda municipal que cuida da entrada da Prefeitura acompanhou a equipe do Jornal Hoje até o gabinete do prefeito. Ele confirma que Gelsinho Guerreiro não aparece desde outubro e que ele todos os funcionários estão sem receber os salários de dezembro e o 13º salário.

São muitas perguntas sem resposta. Os servidores tentam falar com o prefeito, mas não conseguem. O Jornal Hoje também tenta contato com ele desde a semana passada e nada. A equipe do jornal já foi até a casa do prefeito, que fica no município vizinho, Nova Iguaçu, e ninguém estava lá.

Os garis de Mesquita não recebem desde outubro. Sem a coleta de lixo, a cidade está suja e com montanhas de lixo. Também não tem atendimento nos postos de Saúde.

No dia 19 de dezembro, a Justiça determinou que a Prefeitura pagasse os salários dos funcionários da área de educação em 48 horas, o que não aconteceu.

Via G1 
Por Jornal Hoje